11.3.09

[ ... A Cor do Silêncio...]

{ ...no silêncio de todas as razões que fizeram tombar o azul no ponto mais alto destas montanhas: abro a arca das cores. observadas. isoladamente uma a uma. abro todas as portas desta casa. sem medo. à procura de quem nos acolhe e assim concretizar a mensagem que nos fez chegar aqui. abrimos as cores plenas de luz. em azul, magenta, vermelho, ocre, verde, amarelo, branco, cinza... entre todos os tons e pigmentos: o interior da casa e de nós próprios. chegar às cores desta serra é sentir o mistério das noites sombrias. todas as grandes casas são sempre um universo desconhecido. abertas todas as suas portas a paleta das cores dá a mão ao sono profundo. assim foi a viagem entre as estrelas e a serra. passeios longínquos entre o ser e o pensamento. o azul que trouxemos na mala não chega para pintar ao que nos trouxe a esta aldeia tão tranquila. viagens. talvez. entre os céus e o sono eterno: o desconhecido. entre a paralesia do sono e a razão: todas as casas desabitadas são muito mais que memórias. o sono é a continuidade do ser... e a cor é a reza tranquila que leva e transporta todas as memórias genéticas em mil vibrações que se desbobram conscientemente na alma do que somos e nos leva a habitar o estonteante azul dos céus. somos sinais de vida sem fim! somos ainda só o que ainda não sabemos. somos o que nada vemos na estrada do nosso olhar. tudo no mundo é pintado em silêncio. corpo que se desbobra. regressa. acorda e disperta num outro ponto mais azul do céu. vibra, volta, regressa. somos cor silêncio. sabemos, sem saber ser que a alma traz e leva tudo o que se avista com fé. no mais alto dos céus desta montanha entre as duas serras, há cores que rezam memórias dum mar que pintou de azul primário: a cor de portugal!..}

4 comentários:

SILÊNCIO CULPADO disse...

O silêncio pode ter todas as cores porque não grita. Porque é silêncio não repudia as cores que lhe atribuímos.
Isto se o silêncio existisse. É que não há silêncio enquanto houver vida a passar.
É linda esta tela de palavras que rompem o silêncio que constroem.

Abraço

musqueteira disse...

...viva silêncio culpado! há entre todos elels... um outro silêncio mais suave. pontado de cores que rompem sentimentos em ocres e magentas:o alentejo!
um beijo, m.

K. disse...

:)


Azul é a cor de Portugal.

Tchi disse...

Creio que és a primeira pessoa a dar uma cor a Portugal. E parece-me que elegeste uma cor condizente com o país e a sua história. E o azul é o azul. Uma cor de que muito gosto.