27.6.08

[ Brava Dança Dos Herois ]




{... dos fracos não reza a história... era assim. assim é e assim será! era tempo, e vontade de cantar alto a nossa história. eramos assim. somos assim. cada um de nós, ligados ao mesmo grupo de amigos, hoje por caminhos diferentes, vamos cantando alto a nossa história. foram momentos que à volta de uma mesa de café... se diferenciava uma nova geração. a nossa missão era: revitalizar a imagem de portugal. hoje, como ontem, e como amanhã... muitos de nós, continua em áreas tão diferentes a riscar os cadernos da cultura portuguesa. bons tempos! tempos cantados, escritos, dançados, imagens pintadas, marcas recriadas na vanguarda do querer: ser português. agora... mais imagens e novos tempos virão!... afinal, dos fracos não reza a história.}

2 comentários:

legivel disse...

... quem estava atento(?!) à música portuguesa dos anos oitenta, não esquece os "Heróis". Nem a noite lisboeta de então, do "Frágil" por exemplo. Já lá vão uns aninhos mas a música é assim: ouve-se e -quer-se goste ou não, fica. Como um marcador do tempo.

musqueteira disse...

caro legivel... pois foi também no Fragil... que iamos com Pedro Ayres, Rui Pragal da Cunha, Miguel Esteves Cardozo, Joaquim de Almeida, Rui Reninho, Pedro Bidarra, Ana Magalhães, Rodrigo Leão, e tantos mais... que entre músicos, artistas, designers de moda, jornalistas, políticos e escritores... manequins e actores... faziam parte do nosso grupo missão:ser português;)bom-fim-de-semana.